EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ENSINO DE QUÍMICA: ESTRATÉGIAS PARA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM EM EJA

Matheus Ladislau Gomes de Oliveira, José Regilmar Teixeira da Silva, Elenice Monte Alvarenga

Resumo


A Unidade Curricular “Química” costuma ser vista como complexa e de difícil de assimilação pelos discentes, sobretudo na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Esta pesquisa objetivou identificar aspectos que dificultem esse aprendizado e, diante disso, apresentar uma proposta metodológica que estabeleça conexões entre os conteúdos de Química e Educação Ambiental em turmas de EJA. A metodologia desta pesquisa-ação consistiu da identificação, por meio de questionários, do perfil dos estudantes de EJA, além da descrição da experiência de servidores atuantes na EJA. Tais informações fundamentaram a aplicação de proposta de metodologia de ensino junto aos estudantes de EJA, abordando a Educação Ambiental e a Química (ligações químicas e geometria molecular), com o uso do livro didático e estratégias de contextualização, finalizando-se com atividade de estímulo ao desenvolvimento da habilidade escrita dos estudantes. A partir das análises dos questionários aplicados com os estudantes, os resultados obtidos demonstram que a realidade socioeconômica afeta o processo de ensino-aprendizagem. Já os resultados obtidos junto aos servidores permitiram identificar que há também deficiência no conhecimento de base, necessário aos estudantes para o adequado acompanhamento dos estudos, e que isso afeta a abordagem de ensino, com vistas a se minimizar a evasão. Pautada nestes resultados, a proposta metodológica de ensino contextualizado demonstrou que os estudantes compreenderam os conteúdos ministrados, o que foi demonstrado a partir da aplicação da prova objetiva e da atividade de redação. Portanto, a proposta metodológica de ensino de Química contextualizado com a Educação Ambiental mostra-se eficiente na construção de conhecimentos.


Palavras-chave


Contextualização. Proposta metodológica. Ensino-aprendizagem.

Texto completo:

PDF7

Referências


ASSIS, M, S. Experimentação como estratégia didática para o ensino de química na educação de jovens e adultos. Rio Grande do Sul, 2011. Monografia – UFRGS. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/32648. Acesso em: 06 dez. 2019.

BARKER, V; MILLAR, R. Students' reasoning about basic chemical thermodynamics and chemical bonding: what changes occur during a context-based post-16 chemistry course?. International Journal of Science Education, v. 22, n. 11, p. 1171-1200, 2000. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/09500690050166742. Acesso em: 08 dez. 2019.

BISPO, M.O.; OLIVEIRA, S.F. Lugar e cotidiano: categorias para compreensão de representações em meio ambiente e educação ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, n. 2, p. 69-76, 2007.

BRASIL, Ministério da Educação, Secretária de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC, 1999.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei número 9394, 20 de dezembro de 1996.

BUDEL, G. J.; GUIMARÃES, O. M. Ensino de Química na EJA: Uma proposta metodológica com abordagem do cotidiano. Universidade Federal do Paraná. p. 1-21, 2008. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1763-8.pdf. Acesso em: 01 dez. 2019.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista brasileira de educação, v. 22, n. 1, p. 89-100, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/rbedu/n22/n22a09. Acesso em: 05 dez. 2019.

CHIAPPINI, L. Aprender e ensinar com textos. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: Princípios e práticas. São Paulo: Gaia, 2004.

EITERER, C. L; DIAS, J. D.; COURA, M. Aspectos da escolarização de mulheres na EJA. Perspectiva, v. 32, n. 1, p. 161-180, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/32562 . Acesso em: 27 dez. 2019.

FERNANDEZ, C.; MARCONDES, M. E. R. Concepções dos estudantes sobre Ligação química. Química Nova na Escola, v. 24, n.2, p.20-24, 2006. Disponível em: https://scholar.google.com.br/scholar?hl=pt-BR&as_sdt=0%2C5&scioq=ENSINO+DE+QU%C3%8DMICA+NA+EJA%3A+UMA+PROPOSTA+METODOL%C3%93GICA+COM+ABORDAGEM+DO+COTIDIANO&q=Concep%C3%A7%C3%B5es+dos+estudantes+sobre+Liga%C3%A7%C3%A3o+qu%C3%ADmica&btnG= Acesso em: 07 dez. 2019.

FERREIRA, A. Despertando o olhar científico no Ensino de Biologia para Jovens e Adultos (EJA). Revista Areté - Revista Amazônica de Ensino de Ciências, v. 8, n. 17, p. 156-166, 2017. Disponível em: http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/187. Acesso em: 01 jul. 2020.

GONÇALVES, R. A. A análise do livro didático de química utilizado na modalidade educação de jovens e adultos (EJA) no Distrito Federal. 2014. Monografia (Licenciatura em Ciências Naturais) – Universidade de Brasília, Brasília, 2014. Disponível em: http://www.bdm.unb.br/bitstream/10483/4048/1/2011_RayaneAraujoGoncalves.pdf. Acesso em: 29 nov. 2019.

GOULART, L. Os sujeitos que frequentam o centro de Educação de Jovens e Adultos (EJA) no município de Tubarão-SC. Pedagogia-Tubarão, 2019. Disponível em: https://200.237.249.86/bitstream/handle/12345/7659/Artigo%20cient%c3%adfico%20-%20Larissa%20Goulart.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em 26 dez. 2019.

HALMENSHLAGER, K. R. Abordagem Temática no ensino de ciência: algumas possibilidades. Vivências. Erechim. V. 7. p. 10-21. 2011.

LAMBACH, M.; MARQUES, C. A. Ensino de Química na educação de jovens e adultos: relação entre estilos de pensamento e formação docente. Investigações em Ensino de Ciências, v. 14, n. 2, p. 219-235, 2016. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/356/223. Acesso em: 03 dez. 2019.

LISBOA, J. C. F.; SCRIVANO, C. N.; OLIVEIRA, E. R.; CARNEIRO, M. C. C. C.; JUNIOR, M. C.; GORSKI, R. Coleção Viver, Aprender: Ciências da natureza e matemática Ensino Médio. São Paulo: Global, 2013.

MELO, M.R.; LIMA NETO, E.G. Dificuldades de Ensino e Aprendizagem dos Modelos Atômicos em Química. Química Nova na Escola, v. 35, n. 2, p. 112-122, 2013.

MILARÉ, T. Ligações iônica e covalente: relações entre as concepções dos estudantes e dos livros de Ciências. VI ENPEC, 2007. Disponível em: http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/vienpec/CR2/p676.pdf. Acesso em: 06 dez. 2019.

MORAES, R. A produção do conhecimento químico e o ensino de Química: movimentos entre o conhecimento cotidiano e o conhecimento químico. Mesa-Redonda no XIV Encontro Nacional de Ensino de Química, Curitiba, 2008

MOTTA, S. F. Educação de jovens e adultos: evasão, regresso e perspectivas futuras. Ribeirão Preto – SP, 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) -Centro Universitário Moura Lacerda. Disponível em: https://catalogodeteses.capes.gov.br/catalogo-teses/#!/. Acesso em: 04 dez. 2019.

MUENCHEN, C.; AULER, D. Abordagem temática: Desafios na educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 7, p. 01-17, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4030/2594Acesso em: 02 dez. 2019.

OLIVEIRA, M. K. Jovens e adultos como sujeitos de conhecimento e aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, v.12, p. 59-73, 1999. Disponível em: http://peadsaoleopoldo.pbworks.com/f/jovens_e_adultos_como_sujeitos_de_conhecimento_e_aprendizagem.pdf. Acesso em: 01 dez. 2019.

ORTIZ, M. F. A. Educação de Jovens e Adultos: um estudo do nível operatório dos alunos. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas. UNICAMP. 2002.

PEREIRA, M.; BUFFA, Ester. Trajetórias de exclusão: um estudo sobre jovens e adultos em processo de alfabetização. Revista HISTEDBR On-Line, v. 14, n. 55, p. 361-375, 2014. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8640481/8040. Acesso em: 27 dez. 2019.

PIERRO, D.; CLARA, M. A educação de jovens e adultos no plano nacional de educação: avaliação, desafios e perspectivas. Educação & Sociedade, v. 31, n. 112, p. 939-959, 2010. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/873/87315815015.pdf. Acesso em: 05 dez. 2019.

PRIGOL, S.; GIANNOTTI, S. M. A importância da utilização de práticas no processo de ensino-aprendizagem de ciências naturais enfocando a morfologia da flor. 1° Simpósio Nacional de Educação e XX Semana da Pedagogia, Cascavel, 2008.

RIBEIRO, V. M. Educação de Jovens e Adultos: Novos leitores, novas leituras. Campinas: Mercado de letras, 2001.

SANTOS, W. L. P.; SCHNETZLER, P. R. Educação em Química: Compromisso com a Cidadania, 3 ed. Ijuí: Unijuí, 2003.

SANTOS, J.P.V.; FILHO, G.R.; AMAURO, N.Q. A Educação de Jovens e Adultos e a Disciplina de Química na Visão dos Envolvidos. Química Nova na Escola, v. 38, n. 3, p. 244-250, 2016.

SEBATA, C. E. Aprendendo a imaginar moléculas: uma proposta de ensino de geometria molecular. Brasília, 2006. Tese de Doutorado. Universidade de Brasília – UNB. Disponível em: http://ppgec.unb.br/wp-content/uploads/dissertacoes/2006/2006_ClaudioSebata.pdf. Acesso em: 08 dez. 2019.

SCHNETZLER, R. P. Concepções e alertas sobre formação continuada. Revista Química Nova na Escola, v. 16, p. 15-20, 2002. Disponível em: http////qnesc.sbq.org.br. Acesso em 05 dez. 2019.

SMILJANIC, K. B.; ALMEIDA JÚNIOR, J. J. Percepção Ambiental dos Estudantes de Ensino Básico e do Programa de Educação de Jovens e Adultos-EJA em escolas da rede pública no Município de Mineiros-GO. Revista Interação Interdisciplinar, v. 1, n. 1, p. 5-20, 2017. Disponível em: file:///C:/Users/PC/Downloads/142-Texto%20do%20artigo-357-1-10-20170619.pdf. Acesso em: 27 dez. 2019.

SOARES, L.; GIOVANETTI, N.L.G.; GOMES, N.L. Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

SOARES, S, R. S. As contradições na vida e no trabalho dos alunos da EJA em Porto Alegre/RS: Um estudo de caso. Rio Grande do Sul, 2006. Monografia – UFRGS. Disponível em: file:///C:/Users/PC/Desktop/ARTIGOS%20TCC/ARTIGO%20TCC.pdf. Acesso em: 26 dez. 2019.

SOUZA, A.G.L.; CARDOSO, S.P. Ensino, aprendizagem e o ambiente escolar na abordagem de conceitos de Química. Research, Society and Development, v. 8, n. 11, e038111426, 2019.

SOUZA, Q.; TERESINHA RIBEIRO DOS SANTOS, C.; FABIANO CARVALHO SIQUEIRA, I.; PAULA DOS SANTOS DA CRUZ, M.; ALBERTO SHINEIDER, A.; DA SILVA CUTRUNEO CESCHINI, M. Ensinando Biotecnologia na EJA através de Metodologias Inovadoras. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 11, n. 1, 14 fev. 2020.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 18. ed. São Paulo: Cortez, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A Revista EJA em Debate está indexada ao Livre!, ao SEER, à Sumários de Revistas Brasileiras e ao Periódicos CAPES

ISSN ELETRÔNICO 2317-1839                     ISSN IMPRESSO - 2316-4417

Qualis: B3