CONTRIBUIÇÕES DA PERSPECTIVA SÓCIO-HISTÓRICO-CULTURAL PARA PENSAR A APRENDIZAGEM DOS SUJEITOS DA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Rodrigo de Freitas Amorim

Resumo


Um dos grandes desafios da educação brasileira é a garantia de uma aprendizagem de qualidade. No campo da Educação de Jovens e Adultos essa temática aparece, inclusive, nas políticas internacionais como o direito de aprender. A aprendizagem vem recebendo diversos tipos de abordagens especialmente no campo da produção científica da Psicologia e da Pedagogia que, por sua vez, legitimam formas específicas de estruturação dos processos de ensino e aprendizagem e suas metodologias. Neste trabalho, o objetivo é refletir dialeticamente a aprendizagem de pessoas jovens e adultas que constituem a modalidade de Educação de Jovens e Adultos a partir das contribuições da perspectiva sócio-histórico-cultural por meio de revisão bibliográfica dos estudos dos psicólogos soviéticos Vigotski, Luria, Leontiev, do francês Wallon, além de estudiosos que têm desenvolvido suas teorias. A tese central desta reflexão sinaliza para o fato de que a aprendizagem dos sujeitos da EJA não só pode ser qualitativamente desenvolvida como é condição para seu desenvolvimento como pessoas e cidadãos


Palavras-chave


Psicologia Social, Pedagogia Dialética, Aprendizagem, Educação de Jovens e Adultos

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, I. G. Psicologia sócio-histórico-cultural e pedagogia sócio-histórico-cultural: contribuições para o repensar das teorias pedagógicas e suas concepções de consciência. 1991. Dissertação (Mestrado em educação escolar brasileira) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 1991.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CEB nº 11, de 20 de maio de 2000. Institui as diretrizes curriculares nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Brasília: MEC, 2000.

IVIC, I. Lev Semionovich Vigotski. Trad. José Eustáquio Romão. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010. (Coleção Educadores MEC)

LEMME, P. Memórias de um educador. 2. ed. Brasília, DF: Inep, 2004. 5 v.

LEONTIEV, A. N. O homem e a cultura. In: LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Trad. Manuel Dias Duarte. Lisboa, Portugal: Horizonte Universitário, 1978. p. 259-284.

LURIA, A. R. Curso de psicologia geral: introdução evolucionista à psicologia. Trad. Paulo Bezerra. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991. v. 1.

PAIVA, V. História da educação popular no Brasil: educação popular e educação de adultos. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2003.

VIGOTSKI, L. S. A brincadeira e o seu papel no desenvolvimento psíquico da criança. Trad. Zoia Prestes. Revista Virtual de Gestão de Iniciativas Sociais, n. 8, p. 23-36, abril de 2007.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Trad. José Cipolla Neto e outros. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

VIGOTSKI, L. S. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. Tradução Márcia Pileggi Vinha. Revista USP, São Paulo, 2010, 21(4), 681-701.

WALLON, H. As origens do caráter na criança: os prelúdios do sentimento de personalidade. Trad. Pedro da Silva Dantas. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1971.

WALLON, H. Psicologia e educação da infância. Trad. Ana Rabaça. Lisboa, Portugal: Estampa, 1975.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A Revista EJA em Debate está indexada ao Livre!, ao SEER, à Sumários de Revistas Brasileiras e ao Periódicos CAPES

ISSN ELETRÔNICO 2317-1839                     ISSN IMPRESSO - 2316-4417

Qualis: B3