EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: ENTRE CASA E TRABALHO UMA OPORTUNIDADE A MAIS POR MEIO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Paulo de SÁ FILHO, Leia Adriana da Silva Santiago, Raqueline da Silva Dias, Marco Antônio de Carvalho

Resumo


Este estudo é o resultado de uma pesquisa bibliográfica baseada em uma análise textual, cujos temas estão relacionados à Educação de Jovens e Adultos (EJA), à Educação a Distância (EaD) e ao Sistema Educacional Brasileiro, fundamentados com a proposta de uma educação crítica, reflexiva e transformadora, logo, emancipatória. Assim, apresenta a EJA como um processo educacional formativo e transformador. O trabalho apresenta a EJA – EaD como uma possibilidade de resgate de indivíduos que não tiveram a oportunidade de estudar no seu devido tempo e que, no presente, ainda apresentam obstáculos adicionais para concluir sua formação, como o trabalho, a família e o tempo escasso para se dedicar aos estudos. Diante desse perfil de população, as análises realizadas apontam que a Educação de Jovens e Adultos a distância é uma proposta possível para solucionar esse problema que há muitos anos impede o avanço do Sistema Educacional Brasileiro. Contudo, o primeiro passo para qualquer transformação socioeconômica e cultural é a conscientização dos envolvidos, o que, neste sentido, justifica a importância deste trabalho. 


Palavras-chave


Letrismo a-funcional. Inclusão Social e Digital. Tecnologias. Mundo do Trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


BATISTA, A. P.; SOUZA FILHO, M.; OLIVEIRA, I. P. B.; SOUZA, H. A. G.; MELO, J. P. Possibilidades e desafios da Educação Física como componente curricular no processo de expansão regional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN. Holos, ano 30, vol. 4, 2014.

BIARNÈS, J. Jeunes et adults en échec, mais encore! Education, Paris, vol. 24, mar/maio. 1996.

BIARNÈS, J Universalité, Diversité, sujet dans l’espace pédagogique. Paris: L’Harmattan, 1999.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CBE n.1 de 5 de julho de 2000. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, n. 1, p. 18, 19 jul. 2000a.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Básica. Resolução n. 01 de 05 de julho de 2000. Brasília: MEC, 2000b. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação e Jovens e Adultos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB012000.pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Ensino Fundamental. Proposta Curricular para a Educação de Jovens e Adultos: segundo segmento do ensino fundamental. Brasília: MEC, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Mapa do Analfabetismo no Brasil. Brasília: MEC/INEP, 2003.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Estudo detalha situação do analfabetismo no País. 2003. Disponível em: http://inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/estudo-detalha situacao-do-analfabetismo-no-pais/21206. Acesso em: 18 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo da Educação Superior 2004 – Resumo Técnico. (Versão preliminar), Brasília: 2005.

BRASIL. Decreto 5.478 de 24 de junho de 2005. Institui, no âmbito das instituições federais de educação tecnológica, o Programa de Integração da Educação Profissional ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. Diário Oficial da União: Seção 1, Brasília, DF, n. 121, p. 4, 27 jun. 2005. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?jornal=1&pagina=4&data=27/06/2005. Acesso em: 18 jul. 2019.

BRASIL. Ministério da Economia. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Educação no Brasil. 2018. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/pesquisas/ educacao.html. Acesso em: 18 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Economia. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Analfabetismo cai em 2017, mas segue acima da meta para 2015. 2018. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/21255-analfabetismo-cai-em-2017-mas-segue-acima-da-meta-para-2015. Acesso em: 18 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Economia. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)). PNAD Contínua: Educação 2017. 2018. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101576_informativo.pdf. Acesso em: 18 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Economia. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). IBGE Educa: Educação no Brasil. 2018. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/pesquisas/ educacao.html. Acesso em 18 mar. 2019.

BRENNAND, E. G. G.; BRENNAND, E. G. Inovações Tecnológicas e a Expansão do Ensino Superior no Brasil. Revista Lusófona de Educação, 2012, vol. 21, p. 179-198.

GARCIA, M. et. al. 5º Indicador Nacional de Analfabetismo Funcional. São Paulo: Instituto Paulo Montenegro, 2005.

HADDAD, S.; DI PIERRO, M. C. Escolarização de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, 2000, n. 14, p. 108-194. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n14/n14a07.pdf. Acesso em: 25 jul. 2019.

INSTITUTO PAULO MONTENEGRO (IPM). Indicador de Analfabetismo Funcional: Pesquisa gera conhecimento, o conhecimento transforma. 2018. Disponível em: http://acaoeducativa.org.br/blog/publicacoes/indicador-de-alfabetismo-funcional-inaf-brasil-2018. Acesso em:18 mar. 2019.

LOPES, S. P.; SOUSA, L. S. EJA: Uma Educação Possível ou Mera Utopia? Revista Alfabetização Solidária (Alfasol), vol. 5, p. 75-80, set. 2005.

NATH, M. A. Alfabetização de Jovens e Adultos em Cascavel: Uma História em Construção. 2004. Monografia (Especialização em Fundamentos da Educação). Universidade do Oeste do Paraná (UNIOESTE) – Cascavel (PR), 2004.

OBSERVATÓRIO DO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (OPNE) 10. EJA Integrada à Educação Profissional. Movimento Todos pela Educação. 2019. Disponível em http://www.observatoriodopne.org.br/indicadores/metas/10-eja-integrada-a-educacao-profissional/indicadores. Acesso em: 20 abr. 2019

RODRIGUES, M. E.; VITORETI, J. M. B. PROEJA dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia do estado de Goiás: práticas pedagógicas e formação continuada de professores. Educativa, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 253-282, jan./jun. 2014.

SILVA, N. Da inadequação do termo analfabetismo: da necessidade de novos conceitos para a compreensão do ensino e aprendizagem da leitura e da escrita em Língua Portuguesa. Pátio. Revista Pedagógica (Porto Alegre), Rio Grande do Sul, v. 29, p. 44-46, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A Revista EJA em Debate está indexada ao Livre!, ao SEER, à Sumários de Revistas Brasileiras e ao Periódicos CAPES

ISSN ELETRÔNICO 2317-1839                     ISSN IMPRESSO - 2316-4417

Qualis: B3