CURRÍCULO E GESTÃO ESCOLAR COM PAULO FREIRE EM UM TERRENO PÓS-MODERNO CRÍTICO

Sávio Antunes Santos, Éderson Andrade

Resumo


O objetivo deste artigo foi analisar concepções pedagógicas que contribuem para a abertura de questões curriculares e de gestão escolar na obra de Paulo Freire, bem como compreender como esses pensamentos podem se localizar em uma perspectiva pós-moderna crítica. O trabalho tem um corte qualitativo, descritivo e bibliográfico. Os dados foram organizados tomando por base três obras de Paulo Freire: A educação na cidade, Pedagogia do Oprimido e Pedagogia da Autonomia. A análise dos discursos que constituem as três obras selecionadas foi feita operando com alguns conceitos da Teoria do Discurso de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe. Os resultados demonstram que o pensamento de Paulo Freire não se enquadra em uma perspectiva teórico-metodológica fixa, tendo a abertura e flexionamento como bases para as construções de suas propostas. Conclui-se que o pensamento freiriano é potente para a compreensão do currículo e da gestão escolar na contemporaneidade, uma vez que privilegia as relações dialógicas construídas das redes de sujeitos, num espaço tempo pós-moderno crítico. 



Palavras-chave


Paulo Freire. Pós-Moderno Crítico. Currículo. Gestão Escolar.

Texto completo:

PDF

Referências


DERRIDA, J. Escritura e diferença. São Paulo: Perspectiva, 1971.

DERRIDA, J. Gramatologia. São Paulo: Perspectiva, 2004.

DERRIDA, J. Posições. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

FÉLIX, M. F. C. Administração escolar: problema educativo ou empresarial? São Paulo: Cortez, l989.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. A educação na Cidade. São Paulo: Cortez, 1991.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. 25 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetas de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LACLAU, E. A política e os limites da modernidade. In: HOLLANDA, H. B. Pós-modernismo e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.

LACLAU, E. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

LACLAU, E; MOUFFE, C. Hegemonía y estratégia socialista: hacia uma radicalizacion de la democracia. 3 ed. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2011.

LOPES, A. C. Teorias pós-críticas, política e currículo. Educação, Sociedade, Culturas, nº 39, 7-23. 2013.

LOPES, A. C. e MACEDO, E. F. Teorias de Currículo. São Paulo: Cortez, 2011.

LIMA, T. C. S.; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Rev. Katályses. Florianópolis v. 10 n. esp. p. 37-45. 2007.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagem qualitativa. São Paulo: EPU, 1986.

LYOTARD, J. A condição pós-moderna. 12 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2009.

MOUFFE, C. En torno a lo político. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2011.

MOREIRA, A. F.B. Currículos e programas no Brasil. São Paulo: Papirus, 1990.

PARO, V. H. Administração escolar: introdução crítica. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1986.

PETERS, M. Pós-estruturalismo e filosofia da diferença. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

RIBEIRO, J. Q. Ensaio de uma teoria da administração escolar. São Paulo: Saraiva, 1953.

SANTOS, B. de S. Por que é tão difícil construir teoria crítica? Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 54, p. 197-215, 1999.

TEIXEIRA, A. Pequena introdução à filosofia da educação: a escola progressiva ou a transformação da escola. 8. ed. São Paulo: Editora Nacional, 1978.

TEIXEIRA, A. Educação para a democracia: introdução à administração educacional. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

TYLER, R. Princípios básicos de currículo e ensino. Porto Alegre: Globo, 1983.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A Revista EJA em Debate está indexada ao Livre!, ao SEER, à Sumários de Revistas Brasileiras e ao Periódicos CAPES

ISSN ELETRÔNICO 2317-1839                     ISSN IMPRESSO - 2316-4417

Qualis: B3