O USO DE METODOLOGIAS ATIVAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS INTEGRADA A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

Clarissa Barretta, Priscila Juliana da Silva, Luiz Álvaro Monteiro Júnior

Resumo


Este artigo tem por objetivo geral analisar as dificuldades e potencialidades do desenvolvimento de metodologias ativas no Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJAEPT). Esse estudo foi desenvolvido com duas turmas do Curso Técnico em Agroindústria ofertado no Campus Camboriú do Instituto Federal Catarinense (IFC). Assim, definiu-se a abordagem dessa pesquisa como qualitativa e realizaram-se observações participantes de atividades pedagógicas desenvolvidas com duas turmas. As anotações e relatos dessas observações foram organizadas para realização da análise documental. Concluiu-se que o perfil dos estudantes das turmas A e B exigiu estratégias de ensino-aprendizagem diferentes, bem como tempos e ritmos de ensino-aprendizagem distintos. Nesse processo de docência com ambas as turmas, observa-se que as dificuldades de aprendizagem aparecem atreladas à dificuldade de visualizar os conhecimentos teóricos na prática. Nesse sentido as metodologias ativas possibilitaram que se estabelecesse a relação entre teoria e prática tornando a aprendizagem significativa.


Palavras-chave


Educação Profissional e Tecnológica; Proeja; Aprendizagem; Metodologias Ativas;

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, M. E. D. A. Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liber Livro Editora, 2005.

ARROYO, M. G. Educação de Jovens-adultos: um campo de direitos e de responsabilidade pública. In: SOARES, L; GIOVANETTI, M. A. G C; GOMES, N. L.(Org.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

BARBOSA, E.F.; MOURA, D.G. Metodologias Ativas de Aprendizagem na Educação Profissional e Tecnológica. Revista Boletim Técnico do SENAC, Rio de Janeiro, v. 39, n 2. p. 48-67. Maio/agos. 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. PROEJA: Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos. Documento Base. Brasília, agos. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf2/proeja_medio.pdf. Acesso em: 25 agos. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação: Decreto nº 5.840, de 13 de julho de 2006. Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf2/proeja_indigena.pdf. Acesso em: 30 agos.2018.

COSTA, F. L. M. et al.O perfil dos estudantes do proeja no CEFETCE: o que pensam e o que desejam. Fortaleza. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/tcc_operfil.pdf. Acesso em: 25 agos. 2018.

COURTNEY, R. Jogo, teatro & pensamento. São Paulo: Perspectiva, 2003.

DAL BEM, E. J. Proeja: Desafios e Perspectivas Pedagógicas da Mediação. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Especialização em Educação Profissional Integrada à Educação Básica na Modalidade de Jovens e Adultos) - Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2011.

DELIZOICOV, D. Didática Geral. Florianópolis: UFSC/EAD/CED/CFM, 2008. Disponível em: http://nead.uesc.br/arquivos/Fisica/Fisica1/didatica/modulo/unidade_i_didatica_UFSC.pdf. Acesso em: 16 set.2018.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. Metodologia do ensino de ciências. São Paulo: Cortez, 1990.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A. P.; PERNAMBUCO, M. M. C. A. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 4.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

DIESEL A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema. v. 14, n 1. p. 268 a 288. 2017. Disponível em: http://revistathema.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/viewFile/404/295. Acesso em: 14 set. 2018.

FARAI, D.S.A.; ASSIS, S.M. O Proeja Integrado à Educação Profissional: Desafios, Possibilidades e Práticas Docentes. Revista Holos. Ano 30, v. 02, p.123 a 133, 2014. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/1968/809. Acesso em: 24 maio 2018.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GASPARIN, J. L. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 3 ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

GRAMIGNA, M.R.M. Jogos de empresa. 2. ed. São Paulo: Editora Pearson, 2007.

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE. Projeto Pedagógico do Curso Proeja FIC – Agroindústria Ensino Médio. 2016. Disponível em: http://www.camboriu.ifc.edu.br/cet/wp-content/uploads/sites/7/2017/08/PPC_PROEJA_AGROIND%C3%9ASTRIA_PRONTO.pdf. Acesso em: 25 agos. 2018.

JÓFILI, Z. Piaget, Vygotsky, Freire e a construção do conhecimento na escola. Educação: Teorias e Práticas. v. 2, n. 2, p. 191-208, dez 2002.

KETAMO, H., Learning by Teaching: A Case Study on Explorative Behaviour in

an Educational Game, Network-Based Education, Finland, 2007.

KRASILCHIK, M. Educação ambiental na escola brasileira: passado, presente e futuro. Revista Ciência e cultura, ano 38, n.12, p. 1958- 1961, dez. 1996.

KUENZER, A. Z. As Mudanças no Mundo do Trabalho e a Educação: Novos desafios para gestão. In: FERREIRA, Naura S. Carapeto (org.). Gestão Democrática da Educação: Atuais tendências, novos desafios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

LEITE, L.; ESTEVES, E. Ensino orientado para a Aprendizagem Baseada na Resolução de Problemas na Licenciatura em Ensino da Física e Química. In: SILVA, B.; ALMEIDA, L. (Eds.). Comunicação apresentada no VIII CONGRESSO GALAICO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA. Braga: CIED - Universidade do Minho, p. 1751-1768, 2005.

LESSA, C. O. Um Apanhado Teórico-Conceitual Sobre a Pesquisa Qualitativa: Tipos, Técnicas e Características. v. 2, n. 3 (2008). Disponível em: file:///C:/Users/user/Downloads/Artigo%20Pesquisa%20Qualitativa.pdf. Acesso em: 15 set. 2018.

LOPES, R. C.S. A Relação Professor Aluno e o Processo Ensino Aprendizagem. Diaadiaeducação. Portal Educacional do Estado do Paraná. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1534-8.pdf. 2009. Acesso em: 25 agos. 2018.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MINAYO, M.C.S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2015.

MORAN, J. M. Como utilizar a internet na educação. Revista Ciência da Educação. São Paulo, v.26, n. 2, 2007.

MOSCOVICI, S. Representações Sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis: Vozes, 2004.

MOURA, D. H.; HENRIQUE, A. L S. PROEJA: Entre desafios e possibilidades. Campus EAD – Instituto Federal do Rio Grande do Norte. HOLOS, Ano 28, Vol 2 114, 2012. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/viewFile/914/536. Acesso em: 25 agos. 2018.

MUENCHEN, C. A disseminação dos três momentos pedagógicos: um estudo sobre práticas docentes na região de Santa Maria/RS. 2010. . Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Centro de Ciências em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2010.

MUENCHEN, C.; DELIZOICOV, D. A construção de um processo didático-pedagógico dialógico: aspectos epistemológicos. Revista Ensaio: Belo Horizonte, v. 14, n. 3, p.199- 215, 2012.

REEVE, J. Why teachers adopt a controlling motivating style toward students and how they can become more autonomy supportive. Educational Psychologist. Hillsdale, v. 44, n. 3, p. 159–175, 2009.

ROGERS, C. R. Liberdade para aprender: uma visão de como a educação deve vir a ser. Belo Horizonte: Editora Interlivros, 1973.

SANTOS, M. A. M. T. A produção do sucesso na educação de jovens e adultos: o caso de uma escola pública em Brazilândia. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2007.

SELBACH, S. et al. Uma crônica para se pensar o ensino de Ciências. In: Ciências e didática. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. p.11-13.

SILVA, M. Sala de aula interativa: educação, comunicação, mídia clássica, internet. 6. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed,1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A Revista EJA em Debate está indexada ao Livre!, ao SEER, à Sumários de Revistas Brasileiras e ao Periódicos CAPES

ISSN ELETRÔNICO 2317-1839                     ISSN IMPRESSO - 2316-4417

Qualis: B3