AS RODAS DE CONVERSA COMO INSTRUMENTO METODOLÓGICO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Keila Mourana Marques Silva, Valéria Oliveira de Vasconcelos

Resumo


 

 O objetivo central do presente relato é o de problematizar o uso de Rodas de Conversa como metodologia pedagógica e investigativa na Educação de Jovens e Adultos (EJA) mediatizada pela Educação Popular. As ações fomentaram diálogos e discussões das quais emergiram algumas concepções sobre os processos de ensinar e aprender na EJA. Nessa proposta, todas as pessoas envolvidas têm a oportunidade de expressar o que pensam, o que sentem, além de manifestar suas visões de mundo. Os resultados apontam que os jovens e adultas(os) participantes, apesar da defasagem em relação aos seus estudos, pensam criticamente seu futuro, têm uma visão própria sobre seu processo de formação e desejam uma educação de qualidade, voltada aos seus interesses. Além disso, buscam processos de aprender e ensinar capazes de trazer mudanças em sua realidade, respeitando as suas experiências como ponto de partida para o próprio crescimento, independente de diplomas e certificações. Conclui-se que, para a maioria dos/as participantes, a aprendizagem significativa é o que os motiva na construção do conhecimento e as Rodas de Conversa se mostraram uma estratégia política libertadora, uma vez que nesse espaço suas vozes e opiniões se legitimam na escuta e no diálogo horizontal.

 


Palavras-chave


Educação de Jovens e Adultos. Rodas de conversa. Educação Popular.

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação popular? 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 2002.

FIGUEIREDO, Alessandra Aniceto Ferreira de; QUEIROZ, Tacinara Nogueira de. A Utilização de rodas da conversa como metodologia que possibilita o diálogo. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 10: Desafios atuais do Feminismo. Anais eletrônicos […] Florianópolis: UFSC, 2013. Disponível em: www.fazendogenero.ufscar.br. Acesso em: 15 mar. 2015.

FREIRE, Paulo. Política e Educação. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 25. ed. São Paulo: Paz e Terra. 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

SILVA, Petronilha Beatriz Gonçalves; BERNARDES, Nara Maria Guazelli. Roda de Conversas - Excelência acadêmica é a diversidade. Educação, Porto Alegre, ano XXX, n. 1 (61), p. 53-92, jan./abr. 2007.

SILVA, Keila Mourana; VASCONCELOS, Valéria Oliveira. Ensinar e aprender sob o olhar de alunos de EJA: mediações da Educação Popular. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 37. Anais […] Florianópolis, 2015.

SILVA, Keila Mourana; VASCONCELOS, Valéria Oliveira. O que nos ensinam e o que aprendem os alunos de EJA em seus processos educativos: Contribuições da educação popular. Série-Estudos, Campo Grande, v. 22, n. 45, p. 99-119, maio/agos., 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




A Revista EJA em Debate está indexada ao Livre!, ao SEER, à Sumários de Revistas Brasileiras e ao Periódicos CAPES

ISSN ELETRÔNICO 2317-1839                     ISSN IMPRESSO - 2316-4417

Qualis: B3