Degradação lignocelulósica por hidrólise enzimática visando a produção de Etanol

Luiz Felipe Moraes Costa

Resumo


Com a demanda crescente por fontes alternativas de biocombustíveis devido á escassez dos combustíveis fósseis, tem-se percebido muitos estudos buscando novas alternativas renováveis e de baixo custo para produção de etanol. O etanol produzido a partir de material lignocelulósico é uma boa alternativa, uma vez que não está relacionando à polêmica “food versus fuel” e também devido a capacidade de utilização completa dos materiais na obtenção de um produto, esta ideia nos remete ao conceito de biorrefinarias, uma vez que garante a viabilidade econômica e ambiental do processo. No entanto, a produção de etanol de segunda geração exige alta complexidade tecnológica. Assim, há algumas etapas adicionais quando se utiliza materiais lignocelulósicos para obtenção de etanol, são necessários o pré-tratamento e a hidrólise, que são etapas essenciais. Deste modo, o presente artigo propõe uma revisão da degradação lignocelulósica por hidrólise enzimática para produção de etanol.

Palavras-chave


Lignocelulósico, hidrólise, pré-tatamento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN ELETRÔNICO - 2316-8382                ISSN IMPRESSO - 2175-5302